Palestra Caudalie


Olá pessoal!

Tudo bem?

Hoje quero compartilhar um pouco as dicas que dei na minha palestra na Caudalie da semana passada!

IMG_9451 IMG_9452 IMG_9453

Foi na M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A Boutique Caudalie do Shopping Higienópolis em SP. Já conhecia a marca, mas não sabia que tinha um Spa na loja para sermos cuidadas com esses produtos de beleza fantásticos naturais mas super eficazes! Estou amando!

A palestra foi sobre Lifecoach ou Coach de vida para mulheres.Vamos as dicas!

Nossos dilemas vem dos desafios que só nós mulheres temos…auto-estima .
1- TUDO que queremos na vida é energia, a emoção que as coisas físicas geram. Não espere ficar feliz quando “aquilo” que você tanto quer aconteça. Seja feliz já porque se não acontecer você não desperdiçou sua vida!
2- A beleza da mulher vem de dentro. Aprecie isso e sinta-se plena.
3- Ame-se: reconecte-se e rejuvenesça.Cuide de você todos os dias. Da sua pele, dos seus cabelos, da sua saúde! As convidadas receberam um tratamento com os produtos da Caudalie de presente! Assim sentiram a delícia e o prazer de se amar.
4- Respeite-se: seu estilo, seus valores, sua essência, sua história. Pare de buscar referências fora! Conecte-se com você! Crie seu estilo!
5- Ser plena é um ímã de atração. Seja feliz e TUDO de bom vai acontecer.
6- Propósito e Compartilhar. Falei da importância de viver o seu propósito e servir o mundo. Essa é a razão da nossa existência.

Tudo organizado com muita perfeição pela Anna Sofia Boaro (@annaboaro) . O evento contou também com a participação da Chef Otavia Sommavilla (@otaviabolos) que fez um bolo de chocolate vegano orgânico que estava uma delíciaaaaaaaaa 🙂

Gostaram?

https://br.caudalie.com/

Beijinhos

Lú  ❤

 

 

Anúncios

Receita de Pão sem Glúten da Chef Otavia Sommavilla

Pão sem glúten? Gluten é a proteína do trigo. Muitas pessoas hoje, pelos mais diversos motivos, estão evitando ou restringindo o consumo de glúten, e buscam alternativas para manter os mesmos hábitos, como um pãozinho macio e saboroso no café da manhã. As moléculas de proteína presentes do trigo, e também em outros cereais, tem propriedades muito singulares: em contato com a água, se ligam umas as outras e formam uma massa elástica, resistente o suficiente para se expandir e acomodar as bolhas de gás produzidas pela fermentação da massa, resultando na textura tão conhecida ( e apreciada) do pão tradicional. Esta ligação proteica é tão especial que há séculos se descobriu o uso do glúten como ingrediente: Se você fizer uma massa fermentada e começar a sova-la dentro de uma bacia com água, vai notar o amido se dissolvendo e ao final, o que sobrar, será glúten puro. Os chineses descobriram isso no século VI, e desde então usam como ingrediente da culinária vegetariana desenvolvida nos mosteiros budistas. É chamado “mien chan”( “musculo da farinha”) No Japão, conhecido como “seitan”. Como aqui não estamos falando de ciência dos alimentos, não vamos detalhar o que de fato acontece quando uma massa de pão tradicional fermenta, mas vale dizer que a complexidade química das moléculas de proteicas do trigo, com suas cadeias longas e ligações com aminoácidos, faz este processo ser único. Por conta disso, é um desafio interessante produzir alguma coisa que se pareça com um pão, não tenha absolutamente nada de glúten, e não apele para substâncias químicas duvidosas. Quem está evitando o glúten deve ficar atento agora à presença de substâncias emulsificantes nos produtos “gluten- free”. Muito usados na indústria de alimentos em geral, cada vez mais se fala dos danos que podem causar à saúde. Como dica geral para cozinhar sem trigo, vale misturar tipos diferentes de farinhas de cereais, para conseguir um equilíbrio entre amido e proteína. Esta receita ficou bem gostosa, e gostaria de sugerir variações: Experimente colocar ervas frescas picadas, por exemplo! Eu comecei testando uma receita que ganhei de uma amiga, que começava com uma goma de polvilho. Se não me engano, veio de um curso de alimentação alternativa, mas não tenho certeza. Mudei as farinhas usadas, e coloquei mais água. Achei que ficou legal. Um detalhe super importante: Depois de assar os pãezinhos, espere que esfriem um pouco e congele imediatamente, se não for consumir toda a receita. Eles endurecem e ressecam de um dia para o outro, mais rapidamente que um pão tradicional. Assim, estarão frescos e macios sempre que for servir.

Ingredientes: 100 ml de água 1 colher de sopa de polvilho azedo Misture os dois ingredientes e leve ao fogo, mexendo, até ficar transparente. Espere esfriar um pouco. Em uma tigela, coloque: 1 ½ xícara de fécula de batata ½ xícara de farinha de arroz ½ xícara de polvilho doce 1 colher de sopa de açúcar duas pitadas de sal 1 ½ colher de chá de fermento seco para pão ( meio envelope) 2 ovos 2 colheres de sopa de azeite. Misture bem. Nesta etapa a massa ficará bem parecida com uma massa de pão, mas é importante deixa-la mais úmida: acrescente meia xícara de água morna. Espere que a massa fermente e cresça ( aproximadamente 30 minutos) e coloque em forminhas untadas. Deixe crescer novamente, pincele com ovo batido e leve ao forno a 180 graus até que cresçam e dourem.os

os1 os2os3os4

Adorei essa receita simples e gostosa de pão sem glúten da Chef Otavia Sommavilla ❤

Bon Apetit!

Beijinhos

Fonte: “On Food and Cooking: The Science and Lore of the Kitchen- Harold Mc Gee

Minha Chef

Exibindo 20151005_133003.jpg

Oiii pessoal! Tudo bem?

Novidades aqui no Blog! Minha amiga e Chef Otavia Sommavilla vai preparar receitas incríveis para nós! Tudo muito saudável e saboroso como a gente gosta! Nossa primeira receita é um nhoque de banana da terra com pupunha!

A receita: 6 unidades de banana da terra, 50 ml de azeite de oliva, 4 colheres de sopa de amido de milho, ¾ xícara de água, 400 g de palmito pupunha limpo e em cubinhos, 3 colheres de sopa de salsinha fresca picada, 1 colher de sopa de cebolinha francesa (ciboulette) picada, sal a gosto, pimentas moídas na hora a gosto: pimenta do reino, pimenta rosa e pimenta branca. Coloque as bananas inteiras e com a casca em uma assadeira e leve ao forno a 180 graus para assar, por aproximadamente meia hora. Elas ficarão pretas e macias se espetadas com um garfo. Deixe que esfrie o suficiente para conseguir tocar, descasque e bata no liquidificador ou processador de alimentos, até obter uma pasta.Dissolva o amido de milho na água fria, misture a banana batida e leve ao fogo, mexendo, até que a massa seque e solte dos fundos e lados da panela. Tempere com sal e pimentas a gosto. Retire do fogo e deixe que esfrie um pouco. Estenda um pedaço grande de filme plástico em uma superfície de trabalho, e coloque a massa de banana. Enrole com mais filme plástico, apertando, formando um rolo fino e comprido de massa. Deixe que esfrie completamente. Abra este rolo e corte os nhoques; Aqueça metade do azeite em uma frigideira antiaderente. Coloque os nhoques, deixando que fiquem dourados. Separadamente, aqueça a outra metade do azeite e salteie os cubinhos de pupunha para que cozinhem. É importante que fiquem crocantes. Acrescente a salsinha e ciboulette picada, e retire do fogo. Sirva os nhoques com o palmito. Rende 3 porções como prato principal ou 5 porções como entrada. Huuuuummmmm ! Gostaram? ‪#‎DicaDaChef‬

A Otavia também faz os bolos mais lindos e deliciosos que conheço!

Vai lá na página dela do Face: Otavia Sommavilla

No site : http://www.otavia.com.br/  e no Insta : otaviabolos

Beijinhos

Lú   🙂